Intuição, Ação, Criação – Graphic Design Thinking (PARTE II)

Veja a parte I em

https://efeitodesign.wordpress.com/2015/04/19/intuicao-acao-criacao-graphic-design-thinking-parte-i/

_____________________________________________________________________

ESTUDO DO ESPAÇO E COMO TER IDEIAS

Sempre faça um levantamento fotográfico, você pode ver certas coisas nas fotos que não percebeu quando estava no local ou observando um objeto.

As vezes as ideias tem que ser um pouco forçadas para ter resultado, associar coisas improváveis, dar continuidade a uma ideia menos provável e “combinar serviços ou aplicar estilos inesperados pode mudar a nossa maneira de pensar sobre categorias previsíveis.” – Lauren P. Adams e Beth Taylor.

Neste livro não se faltam ideias para estimular a imaginação de seja quem for que queira criar ou planejar algo. Novamente, Osborn nos mostra um conceito engraçado e funcional, de como podemos utilizar os verbos a nosso favor, forçando a manipular e criar alternativas com VERBOS DE AÇÃO.

verbos

“Esses verbos pedem que você manipule seu conceito básico, (…) mesmo uma imagem clichê pode se transformar em algo surpreendentes quando você aplica ações a ela.” – Lauren P. Adams.

“Ao invés de produzir trabalhos inspirados exclusivamente pelo briefing do cliente, os designers devem buscar inspirações e ideias em todos os lugares, (…) as ideias podem surgir de qualquer lugar, mas nada surge do nada.” – Ryan Shelley e Wesley Stuckey.

Criar um banco de dados pessoal é como construir uma biblioteca de onde você pode retirar os componentes à medida que precisa deles.

diario visual

SPRINTING

“É uma tecnica que serve para romper com seus próprios hábitos, obrigando-se a criar a solução visual nova em um período de tempo determinado. (…) Quando o tempo é curto, os designers muitas vezes sentem-se mais confortáveis para assumir riscos e experimentar formas alternativas.” – Krikki Xenakis

Esse processo é para ser feito especialmente sem computadores,use revistas, esboços antigos, etc. Faça sessões durante o dia, pois trabalhar em criar ideias interruptamente é exaustivo. Depois de uma boa quantidade de ideias forem geradas, faça pequenos cartões delas e coloque-as uma do lado da outra para poder escolher as melhores.

sprint-hmw

“Se você está sentindo que seu trabalho está estagnado (…) esperimente expô-lo em local público.” (Elizabeth Anne Hermann) para ver como se comunica com o ambiente e quais benefícios podem ser retirados ou integrados ao projeto. As vezes só precisamos de reações alheias.

“O bom designer é capaz de sintetizar ideias perfeitas com o mundo imperfeito em que vivem.”

O livro finaliza com alguns pequenos depoimentos em cima de perguntas como “Como entrar no clima?” ou “Como criar forma?”, e para mim, valeu cada centavo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s